Welcome to my blog :)

rss

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Mau feitio? Quem... Eu?

Eu sou daquelas pessoas que os outros dizem ter “mau feitio”… Mau feitio? Só porque tenho uma dificuldade extrema em não transmitir o que estou a pensar pelas minhas expressões faciais (que, diga-se, são espontâneas e completamente despropositadas), isso faz de mim uma pessoa com mau feitio? Ou só porque volta e meia “passo-me” com a falta de educação dos outros?
Eu até tenho muito bom feitio!

Pelo menos, não sou daquelas pessoas que dizem “Eu sou uma pessoa muito calma, mas quando me enervo… ai” ou então “Eu sou muito amiga dos meu amigos, sou sincera… bla, bla, bla… mas se me fazem alguma”… Não suporto que tentem me passar à frente nas filas de espera ou que estejam em cima de mim quando estou a pagar uma compra e a marcar o código do meu cartão… Odeio que me tentem ultrapassar pela direita, ou então que se atrevam sequer a pensar meterem-se à minha frente quando eu estou há horas numa fila no para/arranca. E então? Que mal tem, dizer a alguém: “Importa-se muito que eu pague as minhas compras sem assistência?” ou buzinar a um filho da mãe que para numa rotunda para deixar a esposa…

Tal como já referi, há quem diga que tenho um pequeno problema nas minhas expressões, pois transmitem bastante bem aquilo que estou a sentir ou pensar… Eu não sei, pois não me costumo ver! Mas na verdade, tenho tido algumas experiências que só vêm confirmar esta situação… Trabalhei num banco em tempos, e um certo dia, uma senhora entrou e dirigiu-se a mim dizendo “Venho levantar a reforma da minha mãe, mas preciso que venha lá fora para ela por o dedo”… Olhei a senhora, e ela disse-me prontamente: “Escusa de olhar assim para mim, que eu não tenho medo de si”… Esta foi a primeira vez que me apercebi que realmente as pessoas à minha volta eram capazes de ter razão… Recentemente, fui a um restaurante e fiz o pedido para o meu grupo. Repeti algumas vezes quantas pizzas eram e já estava a perder a paciência com tamanha burrice. Tendo em conta que a senhora vinha munida de um bloco onde escrevia freneticamente, não entendi a razão de ela insistentemente trocar 2 por 3… Quando a senhora conseguiu perceber, esforcei-me por esboçar um sorriso, mas não fui bem sucedida, tendo em conta que um dos meus amigos me disse de forma bastante séria “parecia que ias matar a mulher”. Mas digam lá, Custava muito, por exemplo, a esta última senhora, em vez de estar a dizer repetidamente:”Então são duas de …” e eu “ Não, dessas são três, das…, é que são duas!”, dizer pura e simplesmente “Perdi-me, importam-se de repetir” ou “ Não percebi, diga novamente”?

Fico chateada… realmente chateada quando dizem que tenho mau feitio só porque não suporto faltas de educação e estupidez compulsiva. Há dois dias fui a uma papelaria e quando cheguei à caixa tirei uma nota de €10, a senhora disse, muito chateada “Tem de ser moedas, que eu não tenho”, sem pensar, respondi-lhe “Eu também não, e agora?” Não devo ter feito muito boa cara, pois a senhora logo se apressou a desculpar-se e a dizer que podia usar o cartão para pagar €2… Dah!!! Estava à espera do quê? Que eu me sentisse mal e lhe fosse trocar o dinheiro? *

Eu até sou bastante compreensiva, quando vejo que da outra parte há algum “feedback” positivo… Inclusive, já chegaram a enganar-se 3 vezes seguidas no mesmo pagamento numa loja, mas como a senhora pediu desculpa, disse-lhe que não tinha problema e que só não acontecia a quem não fazia… E tenho alta tolerância quando percebo que as pessoas são novas nos locais onde estão a trabalhar.

Sou rabugenta quando acordo, não gosto que me tratem menos bem, não gosto que me respondam mal, não gosto de ser mal atendida, não consigo ser simpática quando entro numa loja e nem bom dia me dizem, não gosto que me tentem enganar, não gosto que estejam “em cima de mim”… E então? Não tenho o direito de mostrar o meu descontentamento?

Não sou calma, nem nervosa… Não sou sempre sincera, não digo tudo o que penso e às vezes não penso o que digo. Não sou amiga, nem inimiga de toda a gente, tiro primeiras impressões e fio-me nelas, sou sociável, bem-disposta, mas também tenho os meus dias… E então? Qual é o problema?

Aviso desde já, podem dar as vossas opiniões à vontade, mas é bom que concordem comigo, pois eu sou uma pessoa muito calma, mas quando me enervo… :)
Bjs a todos… sem sentido, só porque sim! :)

*Acabei por desculpar a falta de educação da dita senhora, na medida em que lhe interrompi o entretenimento. É que a senhora estava a ler um jornal e, coincidência ou não, estava numa página repleta de “rabiosques” e seios proeminentes de meninas a oferecerem os seus préstimos…

8 comentários:

Kipo disse...

Bem... que posso eu dizer sem que tu não fiques... digamos... com a tua expressão facial... digamos que, alterada? :)
Os exemplos que deste são engraçados! :) Uma das coisas que me parece muito bem, é a frontalidade. Se as pessoas fazem algo mal, devem "ouvir". Às vezes, as expressões faciais ou corporais das outras pessoas fazem as nossas expressões faciais mudarem repentinamente. :)
No entanto, infelizmente, nem sempre é bom ser tão expressivo. :)

Gostei muito deste post.

Bjs,
Kipo

Meio Cheio disse...

Temos aqui uma mulher cheia de personalidade...eu cá felizmente fui dotada de uma expressão facial que se asemelha a de um palhaço (cara de parva portanto), que me deixa expressar e fazer caretas com enorme facilidade (devia por isto no cv...).

Deixa la...podes não ter "o melhor feitiu", mas ao menos as tuas caras e tu és sincera...gente que é muito sorriso e beijinhos e depois na prática é só a cortar na casaca...acho que estão a mais!

Beijinho e obrigado por me teres adicionado =)*

The RP disse...

Gostei muito!

Tens aqui uns exemplos muito cómicos, mas, sobretudo, representativos!

Também eu tenho dificuldade em não mostrar na cara o que estou a sentir x)

Vou passar a seguir.

Continua ^^

NonSense disse...

Olá Kipo!

Pois é, mas o pior é quando não pretendes que a outra pessoa perceba... É quer já dou por mim a pensar "controla-te, não faças caras estranhas" e...

Olha, ontem a minha "boss", mandou-me recomeçar um trabalho porque ELA se enganou nas instruções que me deu e eu pensei "controla-te", mas além da expressão, tive de controlar a vontade louca que tive de a mandar para um sítio pouco apelativo. Não podendo me expressar de forma alguma, começei a pensar tudo o que me apetecia dizer-lhe, pensando em controlar os meus "tiques faciais"... DIFICIL! Enquanto ela ia falando, eu estava a pensar num repertório enorme de nomes que me apetecia chamar-lhe e dei por mim a pensar "se ela soubesse o que me está a passar pela cabeça"...

Este pensamento deu-me vontade de rir... e dei por mim a controlar a minha ira, a minha vontade de a mandar passear, a minha expressão facial "és burra que nem uma porta" e o meu sorriso... Ufa! Cansa! :)

Bjs

NonSense disse...

Olá Meio-cheio!

Isto de fazer caretas pode ter repercursões trágicas... Cara de parva? Olha que essa também está no meu repertório ;)

Bj e volta sempre.

NonSense disse...

Olá The RP!

Já não me sinto tão só... Tu e a meio-cheio partilham deste meu "problema" :) Um dia formamos um grupo de "expressivo-compulsivos" :)

Obrigada pela visita. Gostei muito do teu blog, vou estar atenta :)

Bj

jagga nathan простй disse...

Вядома, балюча, але ў канчатковым рахунку карысным como diria a outra S:
num fazes sentido nenhum
sendo assi fazes muito sentido no non sense

“passo-me” com a falta de educação dos outros?
Eu até tenho muito bom feitio!

então num tens

agora esta é muy muy buena

formamos um grupo de "expressivo-compulsivos" :)


temos todos muito pouco bom feitio e muito non-sense en nosotros

NonSense disse...

Olá jagga!

"De génio e de louco, todos temos um pouco" :)

Obrigada pela tua visita, vou espreitar o teu blog em breve também.

Bj

NonSense

Enviar um comentário